Adaptações Literárias: Drácula


Oi gente! Eu sei que esse post está atrasado mais de uma semana, é que eu tenho passado os últimos dias na companhia do suga almas TCC. Mas estamos de volta e hoje vou falar sobre Drácula.

Como eu contei no post passado o motivo para Mary Shelley escrever Frankenstein foi uma aposta entre ela, Lord Byron e John Polidori. Enquanto Mary escreveu Frankenstein, Polidori escreveu um conto chamado O Vampiro. Não foi uma obra de grande sucesso, mas é a primeira (até onde se sabe) a relatar este ser que fascina o imaginário de tantas pessoas.
O Vampiro de Polidori foi uma das inspirações para que em 1897 o autor irlandês Bram Stoker escrevesse Drácula. A outra inspiração (e mais comentada) seria o Conde Vlad III Dracul, governador da Valáquia, uma província que ocupava quase todo o sul da Romênia. Vlad era conhecido por sua crueldade e por adorar empalar seus inimigos e opositores do seu governo, um fofo :)!

O livro é escrito de forma que a história é contada através de cartas e diários, e se desenvolve a partir de diversos pontos de vista. Cada personagem conta a sua parte da história, da forma que vê. O protagonista, é Jonathan Harker, que viaja até uma remota zona da Transilvânia, mais exatamente ao castelo do Conde Drácula, para tratar dos interesses do conde na compra de um imóvel nos arredores de Londres. Uma série de coisas estranhas começam a acontecer por lá e o jovem se torna refém do Conde, até que ele consegue fugir. Mas o Conde se muda para Londres e é aí que os problemas realmente começam. O Conde desenvolverá um interesse doentio por Lucy, uma amiga da noiva de Jonathan (Mina Harker), então os noivos precisarão da ajuda do Dr. Van Hellsing para livrar a amiga das presas do Conde

Apesar de uma quantidade enorme de filmes onde o Conde aparece, aqueles que contam a história do livro realmente são poucos. Vou tentar colocar os mais próximos do livro e as referências mais atuais.

A primeira versão para os cinemas com história baseada no livro original foi Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens (no Brasil apenas Nosferatu), de 1922. A história do filme é uma adaptação do romance de Bram Stoker, porém os nomes dos personagens e lugares são diferentes. O problema é que os herdeiros do escritor não concederam aos produtores autorização para a adaptação da obra, e mesmo mudando os nomes e os lugares eles acabaram sendo processados por violação de direitos autorais. Por isso, Drácula passou a se chamar Nosferatu. Em 1979 foi lançado um remake deste filme, com o nome de Nosferatu: Phantom der Nacht (no Brasil Nosferatu: O Vampiro da Noite).
(Pra quem quiser ver, tem os dois completinhos no youtube! ;))


Em 1931, foi lançado Drácula, filme que foi responsável por dar fama mundial ao livro e ao ator Bela Lugosi, que deu vida ao Conde. Este filme teve 5 continuações, uma delas com a filha e outro com o filho do Drácula (aqueles que você não precisa ver, para saber que não deviam nem ter feito!).


Em 1958, o estúdio britânico Hammer Films lançou o primeiro filme de uma série sobre Drácula, recebendo no Brasil o título de O Vampiro da noite, este é o único da série baseado na obra original e teve no papel do Conde o ator Saruman, o Branco Christopher Lee (<3).

Os outros filmes da série são: The Brides of Dracula (1960), Dracula: Prince of Darkness (1966), Dracula Has Risen from the Grave (1968), Taste the Blood of Dracula (1970), Scars of Dracula (1970), Dracula AD 1972 (1972), The Satanic Rites of Dracula (1973), The Legend of the Seven Golden Vampires (1974).


Em 1970, Saruman, o Branco Christopher Lee viveu de novo o papel do Conde nas telonas, a adaptação que era de outro estúdio tinha produção italiana-espanhola-alemã e alegava na propaganda de lançamento que o filme representaria fielmente o livro original e que os filmes anteriores teriam falhado nesta empreitada. O filme recebeu o título de O Conde Drácula.


Em 1973 foi lançado Drácula – O Demônio das Trevas que foi o primeiro filme a romantizar o personagem, que era vivido pelo ator Jack Palance, o filme trazia a ideia de que a esposa de Drácula havia se reencarnado em Lucy e por isso o Conde fica obcecado em reencontrá-la.


Em 1977, a rede de televisão britânica BBC lançou o filme considerado por muitos como o filme de Drácula que, entre todos, mais fielmente seguiu a história original do livro. E em 1979 foi lançado o filme de John Badham, também intitulado Drácula, com Frank Langella interpretando o vampiro. O filme venceu o prêmio de melhor filme do Saturn Awards, o Oscar do cinema de fantasia, ficção científica e horror.


Lançado em 1992 e dirigido por Francis Ford Coppola, Drácula de Bram Stoker foi a última tentativa (que obteve destaque, pelo menos) de ser fazer um filme original ao livro. Quando o filme foi lançado, Coppola alegava que era o primeiro filme realmente fiel ao livro, porém o diretor criou na história um romance entre Drácula e Mina Harker que acaba sendo o foco central do filme (nem preciso dizer que isso não existe no livro né!!). Apesar disso o filme que tinha como protagonistas Sirius Black Gary Oldman (Drácula), a menina por quem o Edward Mãos de Tesoura se apaixona Winona Ryder (Mina) e Neo de Matrix Keanu Lindo Reeves (Jonathan Harker) ganhou um Oscar (1993), rendeu a Gary Oldman um Prêmio Saturno de melhor ator e foi indicado ao BAFTA (1994).


No ano 2000, é a vez de Rei Leônidas Gerard Butler dar vida ao Conde no filme Drácula 2000 (Dããa!). O filme traz o personagem para a atualidade, quando um grupo de ladrões invade uma câmara em busca de obras de arte e acabam libertando o Conde Drácula que estava aprisionado por muitos anos. Drácula então viaja a Nova Orleans em busca de Mary Van Helsing. Os diretores Patrick Lussier e Joel Soisson, entraram num acordo com a Dimension Films e filmaram duas continuações de menor orçamento deste filme (Drácula 2: A Ascenção e Drácula 3: O Legado Final), ambas foram rodadas simultaneamente na Romênia, e não mantem os atores do primeiro filme.


Em 2004 foi lançado o filme Van Helsing - o Caçador de Monstros que apresenta uma nova versão da história do Conde Drácula e mistura elementos de outras histórias. Aqui o enfoque principal não é no Conde, mas ele faz sua aparição sendo interpretado pelo ator Richard Roxburgh, o papel de Van Helsing fica com Wolverine Hugh Jackman.

Em 2006 foi lançado outro Drácula, um filme produzido para a TV que mostra a história de Arthur Holmwood, que vai atrás do Drácula após saber de seus poderes sobrenaturais capazes de curar sua futura esposa, Lucy, contaminada com sífilis.


Em 2012 saiu Drácula Reborn, onde novamente os personagens são trazidos para os dias atuais e novamente Drácula persegue Mina.


Em 2013 Drácula: O Príncipe das Trevas, na história Drácula (Luke Roberts) busca o Lightbringer, a única arma capaz de matá-lo. Em seu caminho, ele conhece uma mulher chamada Alina (Kelly Wenham). Bastou que ele a visse pela primeira vez para que se apaixonasse, principalmente por ela ser incrivelmente parecida com a noiva de Drácula, que fora assassinada. Ele a sequestra e a leva para seu castelo, onde tenta conquistar o coração da moça.


Ainda em 2013 o canal americano NBC lançou a serie Drácula, estrelada pelo Rei Henrique VIII da dinastia Tudor ator Jonatham Rhys Meyers. A série, que não foi renovada após a primeira temporada, mostra a chegada de Drácula a Londres, se apresentando como o empresário americano Alexander Grayson, que deseja trazer a ciência moderna para a sociedade vitoriana. Na verdade, ele apenas busca vingança das pessoas que destruíram sua vida séculos atrás. Mas surge um imprevisto que pode atrapalhar seus planos: ele encontra uma mulher que aparenta ser a reencarnação de sua finada esposa Ilona.


Neste ano (2015) foram lançados dois filmes sobre o Conde. Drácula Reborn (sim, outro!), que conta a história de um trio de jornalistas que viajam a Transilvânia para investigarem a história do Conde e Drácula: A história nunca contada que conta como Vlad se tornou o vampirão mais famoso da história, interpretado aqui por Luke Evans.


O personagem de Mina Harker ainda dá as caras no filme A Liga Extraordinária de 2003 e na série Penny Dreadfull, que eu comentei no post sobre Frankenstein (que vocês DEVEM assistir!).
Segundo notícias divulgadas em novembro o canal Syfy está preparando uma serie do Van Helsing, com uma mulher no papel do caçador de monstros, sem datas para estréia. E segundo o IMDB, no ano que vem (2016) estreará uma série sobre o Conde e mais dois filmes deverão ser lançados, um em 2017 e outro em 2019, não havia nenhuma informação sobre a história ou atores, assim que sair algo eu conto para vocês.

O personagem criado por Bram Stocker aparece em pelo menos 272 obras cinematográficas, segundo o Guinness Book. Isso credencia o vampiro ao título de personagem literário mais retratado na história do cinema. Portanto é óbvio que não dava para colocar todos os filmes aqui, sem contar que Drácula criou toda uma mitologia fazendo com que surgissem muitos outros vampiros na literatura e no cinema.

Eu já li o livro e vi alguns destes filmes (uns 3 ou 4), e vocês? Me contem aí nos comentários, se já leram, o que acham ou se lembram de mais algum filme!

Beijo e Feliz Natal! (Atrasado por culpa da Evelyn que demorou a liberar o post! hehehe)
Até o próximo post!

Fernanda Andrade

4 comentários:

  1. Que post excelente! Super completo, cheio de informações, divertido e bem escrito. Parabéns!

    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eeei, que bom que gostou! Obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Fernanda,já vi muitas obras com esse personagem e li vários livros desse personagem tão monstruosamente e até para muitos atraentemente popular,são diversas as obras das citadas com certeza o de 1992.Mil beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Aciclea, eu confesso que eu sou fascinada com o Conde, mas não vi as principais obras. kkkkk Tenho um pouco de preguiça de assistir filmes, mas vou tentar assistir a de 31 e de 92 nessas férias.

      Excluir

Obrigada pela visita! Gostou? Me diga nos comentários!







Layout por A Design - Ilustração por Aline Fraenkel

Todos os direitos reservados ©