Resenha: Cidades de Papel

Olá, galera!
Hoje vou resenhar a minha primeira leitura deste ano. :D

Cidades de Papel

Sinopse






Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573749
Nº de Páginas: 368
Ano: 2013





Cidades de Papel foi o segundo livro que li do John Green, o primeiro foi ACEDE. Pra quem já leu o que eu achei do primeiro (e se não leu clique AQUI), sabe que não amei com todo o meu coração como a maioria das pessoas.
Posso dizer que o mesmo aconteceu com este aqui. Gostei da história e até da forma como foi escrito, mas ainda não me apaixonei pelo John.

O livro conta a história de Quentin (Q) e Margo, dois amigos que, quando crianças, encontram um homem morto no parque e que depois disso se distanciam. Q sempre foi apaixonado por Margo, mas no secundário ele se torna um nerd com poucos amigos, enquanto ela, uma garota super popular.
Em uma noite qualquer, Margo aparece na janela de Q e o convida (convoca) para uma missão, na verdade para ajudá-la em sua vingança. Após uma noite recheada de diversão e momentos meio tensos para Q, eles voltam para casa e Q se sente nas nuvens. Ele acha que a partir de agora eles retomariam aquela grande amizade que tinham na infância e, quem sabe, ela também se apaixonaria por ele.
Após alguns dias sem vê-la, ele descobre que ela desapareceu. Os pais de Margo não consideram a situação tão preocupante já que ela já havia desaparecido outras vezes, porém Q começa a tentar descobrir seu paradeiro procurando por pistas e fazendo tudo o que pode para encontrá-la.

O livro é dividido em três partes e acho que a primeira e a terceira são as mais fáceis de ler, achei a segunda meio arrastada e mais cansativa.
A história tem momentos divertidos e isso se deve, principalmente, aos amigos de Q, Ben e Radar. Como são adolescente,s eles têm aquelas manias e piadinhas engraçadas e Green sabe bem como colocá-las nos momentos certos.
A busca de Q por pistas que possam levá-lo até Margo é outra parte bem legal. As pistas são inteligentes (às vezes até demais) e a gente acaba tentando desvendá-las junto com ele. 
E a mensagem, que pelo menos eu enxerguei, é que nem sempre as pessoas são o que parecem. Na verdade eu diria que as pessoas nunca são totalmente o que aparentam ser. Margo por mais popular, bonita, fútil, esnobe e chata, era vista como A garota perfeita, mas vamos percebendo que não é bem assim.
Acho que o livro poderia ter sido mais elaborado na parte do "mistério" do desaparecimento. Sei que não é um livro de suspense, mas ganharia muito se tivesse um pouquinho mais.

Resumindo, gostei do livro mas, como já disse lá em cima, ainda não consegui sentir vontade de ler até a lista de compras do John Green. Ainda pretendo ler seus outros livros, mas não tenho a menor pressa.


Beijos e até! ^^

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Gostou? Me diga nos comentários!







Layout por A Design - Ilustração por Aline Fraenkel

Todos os direitos reservados ©